Páginas rasgadas...

Simplesmente eu, pô!

Quem se define se limita.


Frase curta e direta, com um quê extraordinariamente sábio. Cansei de rotular um ser que não é a realidade, quero é ser feliz. Como diria a minha musa, Pitty, na música A Sombra:


“Pra que dissimular? Se ela me segue aonde quer que eu vá! Melhor encarar e aprender com ela caminhar. Não vou mais negar... Por todo caminho a minha sombra está! Eu quero saber me querer, com toda certeza e abominação”.


Ou seja, pra que tentarmos ser algo que não somos se o nosso peito grita por liberdade? Pra que nos sufocar por motivos tão patifes e insignificantes se nossa vida é curda e, literalmente, deveríamos explorar assiduamente o carpe diem?


Agora sim sei quem sou. Descobri que tenho força pra me erguer das rasteiras brutais da vida. Não vou me redimir por algo que não corrompi. Serei apenas eu, Andriu Catena, um cara que busca apenas uma vida intensa e cheia de desafios, com obstáculos a serem superados, e estes serão mais facilmente superados com o meu renascer.


Sou uma nova pessoa, prazer!

Um comentário:

  1. Maria Luísa (futura arquiteta paraibinha)7 de outubro de 2009 21:49

    E aê!
    Velho, seu blog ta bombando, hein Catena!
    Beijos e Sucesso,

    ResponderExcluir